Ao utilizar este website está a concordar com a nossa política de uso de cookies. Para mais informações consulte a nossa política de privacidade e uso de cookies

OK

Vinho de Colares 02 Jun '20

Vinho de Colares

O vinho de Colares é talvez o vinho mais peculiar de Portugal. O vinho de Colares é resultado da influência do Oceano Atlântico e da Serra de Sintra, que juntos criam um microclima único que está presente em cada um dos vinhos de Colares. A influência Atlântica traz a humidade constante, o vento salino que quando sopra forte é apelidado de Nortada e a maresia que se sente quando se prova o vinho.

A Serra de Sintra cria uma barreira à influência do Oceano Atlântico, que garante um clima sempre ameno, seja nas manhãs de inverno ou nos dias mais quentes de verão. Esta série de fatores, em conjunto com as gentes de Colares criaram aquela que é talvez a região mais peculiar do mundo nesta matéria. E o vinho de Colares é a prova disso. Antes de revelar os segredos deste vinho, vale a pena viajar na história...

Há 900 anos, o vinho de Colares chamou a atenção do nosso primeiro Rei, Afonso Henriques, mas só em 1230 o Rei Afonso III entregou as terras a famílias nobres, para que mantivessem a produção deste vinho. No entanto, a hegemonia da região só se iniciou em finais do sec. XIX, depois da filoxera (inseto que ataca as raízes das videiras e as mata) ter dizimado as vinhas em toda a Europa.

Felizmente para o vinho de  Colares – e porque as vinhas estão sobre terrenos de areia - a filoxera não fez estragos na região, que aproveitou para ‘crescer’ de tal forma que em 1931 teve de ser criada a Adega Regional de Colares para proteger o vinho de Colares contra as falsificações que surgiram na época, devido à fama do vinho de Colares.

Em 2008 a Casca Wines decidiu criar os seus vinhos de Colares.

Além da região estar intimamente ligada à origem da Casca Wines, os enólogos também queriam reavivar as tradições únicas de ali fazer vinho, uma vez que nessa altura Colares estava esquecido no tempo. Desde então, a região e o vinho de Colares têm conquistado a atenção dos líderes de opinião nacionais e internacionais. E conseguiu-se algo muito interessante: voltou-se a plantar-se vinhas novas naqueles areais.

A forma de cultivo da vinha na região do vinho de Colares é também muito singular. Para se poder plantar a videira, tem de se escavar até encontrar o barro, ou chão rijo como lá o chamam, que está por baixo da areia. Só isto é muitas vezes um feito heroico, pois há zonas em que a areia pode ter uma profundidade até 7 metros. Nesta região, o que se planta é a vitis vinífera, pois não precisa de enxertia para combater a filoxera.

Após plantação, requer uma espera entre quatro a sete anos até que a videira ganhe forças para subir até à superfície da areia e aí comece a produzir as preciosas uvas de Colares. É curioso ver quando os troncos das videiras à superfície estendem os seus lançamentos pela areia fora, assemelhando-se a um emaranhado de cobras estendidas ao sol. Os cachos quando ganham peso, encostam-se ao chão e recebem a energia térmica da areia aquecida pelo sol que lhes fornece calor, ajudando ao seu amadurecimento.

Na altura em que os bagos das uvas de Colares ficam com as peles mais frágeis, é momento de levantar os pontões, que são pequenos pedaços de canas que se colocam a amparar os troncos das videiras de forma a que os cachos saiam do chão e fiquem pendurados a arejar e a secar a água das manhãs húmidas de verão. E além de tudo isto, o viticultor ainda tem de construir barreiras de vento, que normalmente são feitas a partir dos canaviais que ali existem.

 

Castas dos Vinhos de Colares

As castas dos vinhos de Colares são como a própria região, peculiares.

A casta rainha é o Ramisco e foi esta que marcou tanto o vinho como a própria região de Colares. É uma casta difícil na vinha, muito vegetativa e com a pele das uvas delicada. É também difícil na adega, com acidez vincada e grande concentração de taninos. Os vinhos de Colares são a expressão vincada, não só do Terroir da região, mas também do carácter desta casta, a Ramisco, que embora geneticamente esteja ligada à casta Pinot Noir, a Ramisco de Colares é inimitável, na medida em que transmite aos vinhos um lado austero, sendo ao mesmo tempo de extrema elegância.

O vinho de Colares, que é a expressão da casta Ramisco plantada naqueles terrenos arenosos em cima do Oceano Atlântico, é de corpo médio e de estrutura firme e bem vincada pelos seus taninos, que dão aos vinhos de Colares da casta Ramisco uma longevidade ímpar, perdurando muito além dos 50 anos em garrafa.

A casta Malvasia de Colares é, como o próprio nome indica, uma Malvasia exclusiva da região de Colares. Mesmo na região de Colares, os vinhos brancos nunca tiveram a atenção que a casta Ramisco tem. Mas hoje, que os vinhos brancos já são mais valorizados, estes da região de Colares e da casta Malvasia de Colares são de uma salinidade e conseguem uma expressão do terroir de Colares que os tornaram incontornáveis.

A casta Malvasia de Colares é muito elegante e tem a pele relativamente forte, que permite aguentar bem os nevoeiros matinais na altura final da maturação. O carácter da Malvasia de Colares exprime na perfeição a própria região, tornando-a o par perfeito para o vinho de Colares.

Existem outras castas na região, como a Molar, que ali foi plantada no intuito de amaciar a casta Ramisco, trazendo para o lote - onde não pode ser mais de 15% - alguma graduação alcoólica mais elevada e uma sensação de menor adstringência.

Em relação às castas brancas também presentes na região salienta-se a Galego Dourado, que também aparece nas vinhas de Colares e que, à semelhança da casta Molar, serve também para trazer alguma graduação alcoólica à Malvasia de Colares e ajuda igualmente a equilibrar alguma acidez mais vincada que em anos mais frescos a Malvasia de Colares possa ter.

 

Produtores de Vinho de Colares 

Os produtores de vinho de Colares são muito poucos e à dimensão desta micro-região. Há um produtor incontornável na região de Colares, a Adega Regional de Colares. Esta adega teve um papel importantíssimo durante os tempos áureos da região de vinhos de Colares.

Foi esta adega que garantiu a proteção da Denominação de Origem Controlada de Colares, pois a força dos vinhos de Colares era tanta no princípio do sec. XX que qualquer produtor de vinho queria ter vinho de Colares para vender, o que deu origem a falsificações a que esta adega viria a pôr fim. Entre 1931 e 1998 era obrigatório entregar as uvas na Adega Regional de Colares. Só esta detinha os selos de garantia de vinho de Colares até essa data.

As restantes marcas, como a Chitas e a Viúva Gomes, que ainda hoje estão ativas, continuam a comprar vinho de Colares produzido na Adega Regional de Colares, sendo depois o vinho terminado por estes produtores para ser engarrafado.

Em 1999 outro produtor juntou-se à região, a Fundação Oriente plantando vinha própria já modernizada, em espaldeira, e não como tipicamente a região sempre produziu, com os troncos da videira a espalharem-se pela areia e as uvas a crescerem em constante contacto, aproveitando o calor da areia para melhor amadurecerem e produzirem o típico vinho de Colares.

Em 2008 juntou-se a Casca Wines, sempre focada em reavivar as tradições e em rejuvenescer a região de vinho de Colares.

Fizemos parceria com produtores experientes na região que sempre mantiveram viva a tradição de cultivo centenária. A Casca Wines, com a ajuda de três produtores de uva, começou a fazer o seu próprio vinho na Adega Viúva Gomes, que nos abriu as portas para podermos trabalhar e dignificar a região e os vinhos de Colares.

Recentemente juntaram-se ao grupo de produtores o Casal de Santa Maria, que faz o seu vinho como a Chitas e a Viúva Gomes, em parceria com a Adega Regional de Colares, e ainda um produtor já antigo na região, mas que não produzia vinho de Colares, tendo iniciado a sua própria plantação em 2015 e lançado já os seus primeiros vinhos, o Casal do Ramilo.

 

Onde comprar Vinho de Colares?

A forma mais simples de comprar vinho de Colares é visitar o website da Casca Wines e encomendar online, recebendo no conforto de casa estes vinhos de Colares, magníficos e raros, até pela dimensão da região de Colares.

Em alternativa, pode visitar os produtores da região e também a Casca Wines e adquirir à Porta da Adega os vinhos de Colares ou então procurar nas lojas especializadas de vinhos, como o Gourmet do El Corte Inglês.

Seja de que forma for, não deixe de provar o vinho de Colares, se gosta de experiências únicas e inesquecíveis. 


Hélder Cunha
A minha vida é o vinho