Ao utilizar este website está a concordar com a nossa política de uso de cookies. Para mais informações consulte a nossa política de privacidade e uso de cookies

OK

Vinhos sem Sulfitos 19 Out '20

Vinhos sem sulfitos? A resposta é inequívoca: não existem. Os sulfitos são um dos subprodutos da fermentação alcoólica. Ora todos os vinhos têm de passar por uma fermentação alcoólica, pois é durante a mesma que os açúcares naturais da uva se transformam em álcool. Assim sendo, todos os vinhos têm sulfitos.

Está a pensar... seria capaz de jurar que já ouviu falar em vinho sem sulfitos? É possível. O que acontece é que a nomenclatura "vinhos sem sulfitos" é usada de forma errada. Na verdade,  essa expressão deveria ser corrigida para "vinhos sem adição de sulfitos".

 

O que são sulfitos?

O que são, afinal, os sulfitos? Como referi acima, são um subproduto da fermentação, que existe naturalmente em alimentos fermentados, como o pão e – claro! - o vinho. Os sulfitos são os compostos derivados do sulfuroso, que tem na sua fórmula o enxofre. Em enologia o sulfuroso é comprovadamente utilizado há centenas de anos na produção de vinho. Existe até a convicção de que já se utilizaria no tempo em que os Romanos por cá andavam...

 

Para que servem os sulfitos no vinho?

Os sulfitos cumprem várias funções num vinho. Entre elas, destaco o poder enquanto estabilizante microbiano, dado que o sulfuroso inibe o crescimento de microrganismos que podem interferir e deteriorar a qualidade dos vinhos. Não menos importante é o seu poder antioxidante. Uma vez que o envelhecimento dos vinhos não é mais que uma oxidação, sulfuroso, os sulfitos, ajudam os vinhos a serem melhor preservados no tempo.

Na realidade, os vinhos podem não precisar de adição de sulfitos. O vinho natural ou de intervenção mínima é a prova disso. Mas é importante que saiba que os vinhos sem adição de sulfitos não sabem ao mesmo que os vinhos convencionais e que o vinho natural fica longe do perfil gustativo dos vinhos convencionais.

Porque às vezes no meio é que está a virtude, chegou-se a um tipo de vinho que não é nem vinho natural, nem vinho convencional, graças ao avanço na enologia e à sabedoria adquirida pelos enólogos. Trata-se de um tipo de vinho que se produz utilizando o modo convencional de produção de vinho, mas que não tem qualquer adição de sulfitos no seu processo de produção.

 

Desta forma obtém-se um aroma e um sabor mais próximo dos vinhos convencionais do que do vinho natural.

 

Vinhos sem Sulfitos - Monte Cascas

 

Vantagens dos vinhos sem sulfitos

Atenção que isto interessa a quem é alérgico a sulfitos! Se costuma ter sintomas como manchas vermelhas, prurido ou erupções, espirros, dores de cabeça ou até sintomas de asma quando bebe vinho, é possível que tenha alergia a sulfitos, ou então bebeu demais. No primeiro caso, saiba que a quantidade deste composto encontrada num vinho sem adição de sulfitos é diminuta. Logo, é perfeitamente possível que possa beber este tipo de vinho sem manifestar os tais sintomas. 

 

Desvantagens dos vinhos sem sulfitos

A desvantagem dos vinhos sem sulfitos é essencialmente a incerteza do caminho durante o envelhecimento que estes vinhos podem ter, e aqui refiro-me em especial ao vinho natural. Em relação ao vinho que o enólogo produz - em que a única diferença é a não utilização de sulfitos - este tipo de vinho tem certamente um caminho que deverá ser mais linear, ou mais seguro e previsível, digamos assim, durante o seu estágio de envelhecimento, comparado com o percurso de um vinho natural.

É sempre bom saber que temos escolha. E neste caso, a escolha é sua. De qualquer forma, está revelado mais um segredo do mundo do vinho. Fica o saber... porque esse não causa alergias e nunca ocupa lugar. 


Hélder Cunha
A minha vida é o vinho